Saúde Integral

29/08/2016 10h00

Molho de tomate com pelo de roedor: pode isso, Arnaldo?

A regra pode ser clara, mas é segura? Entenda melhor a polêmica e saiba o que fazer nessas situações.

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Tomate

A venda dos produtos irregulares é proibida a partir da emissão do laudo que comprova a irregularidade.

Molho de tomate é um ingrediente indispensável para diversas preparações culinárias muito saborosas. Porém, preparar uma refeição deliciosa pode se tornar algo muito desagradável se você encontrar pelo de roedor no molho de tomate. Você sabe o que fazer neste caso? Descubra a seguir.

Extrato e molho de tomate

Pode parecer algo raro, mas no final do mês de julho foram encontrados lotes de quatro marcas de extrato de tomate e uma de molho de tomate com irregularidades. O caso foi que as empresas comercializaram os produtos com pelo de roedor, ou seja, de ratos.

A presença de pelo de roedor não foi surpresa, acredite se quiser, porque a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) permite que seja encontrado um pelo para cada cem gramas de molho ou extrato de tomate.

E foi esse o motivo de tanta polêmica, afinal, muitas pessoas descobriram que existe sim uma quantidade de pelos de roedores permitida em molhos e extratos de tomate!

As marcas punidas

As marcas que disponibilizaram produtos irregulares, ou seja, com uma quantidade maior do que o permitido de pelos de roedores foram:

Amorita, Predilecta, Aro e Elefante (extrato de tomate) e;

Pomarola (molho de tomate).

Presença de pelo de roedor nos alimentos

A notícia choca, pois é permitido comercializar e consumir molho de tomate com pelo de roedor. Segundo a agência, é um problema mundial e acontece a contaminação porque os tomates coletados são armazenados em galpões.

E não é somente o pelo de rato a única matéria estranha encontrada nos alimentos. Também é possível achar areia, fungos e até insetos. No último exemplo, temos o caso das uvas-passas, onde é comum encontrar até 25 fragmentos dos pequenos animais por 225 gramas do alimento.

O que fazer nesse caso?

Você não precisa se preocupar, pois a ANVISA faz análises nas marcas dos produtos e, caso sejam encontradas irregularidades, como no caso do molho de tomate com pelo de roedor em quantidades maiores do que o permitido, os lotes são recolhidos.

A venda dos produtos irregulares é proibida a partir da emissão do laudo que comprova a irregularidade. Assim, não há comercialização e os riscos são eliminados. Porém, se você se sentir lesado de alguma forma por essas empresas, pode procurar o PROCON de sua cidade ou denunciar a marca pelo número 151.

Evitando problemas

Mesmo que a ANVISA considere que uma quantidade mínima de pelo de roedor no molho de tomate seja inofensiva à saúde, é impossível sentir- se seguro ao saber que no alimento que você consome pode haver microorganismo e partículas contaminadas.

Por essa e por outras questões de saúde, é mais saudável (e saboroso!) fazer o seu próprio molho de tomate em casa.

Veja como fazer o seu molho de tomate caseiro:

Ingredientes

  • 4 tomates maduros (de preferência orgânicos)
  • 10 folhas de manjericão
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola descascada
  • ½ colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 pitada de pimenta-do-reino moída na hora

Modo de preparo

  1. Depois de lavar os tomates, corte um 'x' na base de cada um e prepare uma tigela com água e gelo. Leve uma panela com água ao fogo e, quando que a água ferver, coloque os tomates. Assim que a pele começar a soltar, retire os tomates com uma escumadeira e transfira- os para a tigela com gelo para a pele se desprenda. A partir do corte em 'x' puxe e descarte a pele.
  2. Corte os tomates em pedaços (descartar as sementes é opcional) e transfira para o copo do liquidificador e bata até ficar liso.
  3. Coloque o azeite em uma frigideira grande e leve para aquecer em fogo médio. Junte metade do manjericão e da cebola picada e deixe fritar por apenas dois minutos.
  4. Acrescente o tomate batido, tempere com o sal, a pimenta-do-reino e o açúcar. Misture, junte a outra metade da cebola e deixe cozinhar por seis minutos.
  5. Desligue o fogo, acrescente o restante do manjericão e a manteiga e misture até derreter. Sirva a seguir.

Dica: este molho pode ser conservado na geladeira por até uma semana.

Experimente essa receita e não coloque mais a sua saúde e a da sua família em risco ao consumir molhos industrializados!

X